Alimentação saudável: gorduras boas x gorduras ruins

Share on facebook
Share on twitter

Fonte: www.parana-online.com.br

Bom-dia, amigos. Esta semana estamos revisando de uma forma bem básica alguns princípios da alimentação saudável. Hoje falaremos sobre a diferença das gorduras boas e ruins. E também que apesar de saudáveis, as “boas” gorduras continuam sendo calóricas e requerem cautela.

Muitas pessoas questionam se o uso de azeite de oliva é bom e se pode ser usado sem restrições. Embora o azeite de oliva seja um tipo de óleo saudável, sendo bom para o aparelho cardiovascular, devemos lembrar que uma colher de sopa equivale a 120 calorias. Fica fácil imaginar que ao comer pizza, e regá-la com bastante azeite, o que acontecerá com o seu peso.

Hábito comum nas pizzarias, a oferta do azeite de oliva nas mesas é tentadora. Isso para não falar do azeite de oliva composto (parte de azeite de oliva e parte de óleo de soja), que poucas pessoas sabem fazer distinção.

Por outro lado, dizer que todas as gorduras são ruins para o organismo não é realidade. Utilizar-se de um pouco de gordura diariamente é essencial para a saúde, pois ela é necessária para absorver as vitaminas lipossolúveis (A, D, E, e K), manter a pele macia e aparência jovial, participar na formação de hormônios, dar proteção mecânica aos órgãos, dar melhor sabor e textura nos alimentos e ainda provocar a saciedade.

As gorduras em quantidades adequadas nas refeições são bem vindas, mas ninguém gosta de tê-las acumuladas no corpo, principalmente na cintura, no abdômen, nos braços e pernas.

Na prática vemos pessoas que evitam ingerir gordura de qualquer tipo; outras abusam das gorduras culpando os carboidratos pela obesidade; outras que abusam delas pelo sabor, mas limitam sua ingestão, e outras que nem sabem o que estão ingerindo por desconhecimento da presença das gorduras nos alimentos.

É necessário saber que existem gorduras “boas” e “ruins”. As gorduras “boas” estão no: abacate, azeite de oliva, óleos vegetais, azeitonas, nozes, sementes, soja e seus derivados como o queijo tofu, nos óleos dos peixes e de certas sementes. Essa gordura é denominada de “gordura insaturada”.

As gorduras “ruins” são de origem animal, como na manteiga, na carne e na gordura bovina e suína, na carne e na gordura das aves, nos laticínios feitos de leite integral (queijo, sorvete, iogurte), nas gorduras hidrogenadas que estão nas margarinas, frituras, pães, bolos, biscoitos, croissants. Essas gorduras são denominadas “gordura saturada” e “gordura trans”.

Como um pouco de gordura é necessário ao organismo, é interessante consumir as boas gorduras, que além de serem saudáveis, combatem a obesidade. Lembre-se que o melhor resultado vem sempre com indicações de um nutricionista, que vai lhe entregar um cardápio todo calculado e específico. Até amanhã.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Novembro azul pode ter outro tom!

Como contribuir efetivamente com o Novembro Azul? Uma mensagem de incentivo ao diagnóstico e prevenção do câncer de próstata poderia ser o bastante, mas não

Aproveite o horário de verão para se exercitar!

O horário de verão está aí e com ele você pode aproveitar uma hora a mais de sol para praticar exercícios físicos e ativar a Vitamina D3 no seu organismo.

Além disso está comprovado que os raios solares têm uma relação direta com nosso humor, nos deixando mais animados e dispostos.

Uma das razões para isso é que a luz do sol estimula a produção de serotonina, dopamina e melatonina, que são substâncias responsáveis por trazerem bom humor, energia e regular o ciclo do sono.