Alimentação x envelhecimento, qual a relação?

Alimentação x envelhecimento, qual a relação entre eles? “Coma bastante para ficar forte e saudável’’. Você, certamente, já ouviu essa máxima em algum momento da sua vida. Pois saiba que apesar de bem intencionada, essa “dica” não é assim tão verdadeira não. O “New England Journal of Medicine”, a revista médica de maior circulação, publicou estudo recente que diz exatamente o contrário.
Share on facebook
Share on twitter

Alimentação x envelhecimento, qual a relação entre eles?

“Coma bastante para ficar forte e saudável’’. Você, certamente, já ouviu essa máxima em algum momento da sua vida. Pois saiba que apesar de bem intencionada, essa “dica” não é assim tão verdadeira não.  

O “New England Journal of Medicine”, a revista médica de maior circulação, publicou estudo recente que diz exatamente o contrário. 

Já na década de 1930, ficou claro que camundongos mantidos em regime de restrição calórica apresentavam maior longevidade e tinham menos doenças associadas ao envelhecimento.

Anos depois, foi realizado estudo mais detalhado com três grupos de ratos: o primeiro alimentado sem restrição de quantidade (ad libitum); o segundo, com redução de 30% no número de calorias ingeridas em relação ao anterior, e o terceiro, com um corte de 60%. 

Morreram antes os “ad libitum”, depois os que comeram 30% menos e mais tarde, ainda, o grupo com restrição de 60% (fala-se em reduzir a porção de comida, mas sem déficit de nutrientes). 

É de se espantar, não é? 

Não só a quantidade importa, mas, principalmente, a qualidade do que você ingere.

Você já parou para pensar que aquilo que você come hoje pode afetar a sua saúde lá na frente? 

E sim, é preciso pensar no futuro: segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), em todo o mundo, a faixa etária dos 60 anos cresce mais do que qualquer outra.

Para o IBGE, (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a expectativa de vida do Brasileiro já passa dos 75 anos. 

E pode acreditar: uma das principais receitas para uma vida longa (e saudável) é manter uma alimentação adequada e balanceada.  

A alimentação tem tudo a ver com o surgimento (ou a prevenção) de problemas de saúde como obesidade, colesterol alto, hipertensão e diabetes, e outros tipos de distúrbios hormonais, além de melhorar a circulação, combater a depressão, a ansiedade e a insônia. 

Mas o que devo comer para me manter saudável? 

  • Invista em alimentos antioxidantes 

Se você quer prevenir o envelhecimento precoce (e envelhecer bem) coma alimentos que têm ação antioxidante.  

Eles são essenciais para a defesa das células e contribuem para a eliminação de radicais livres.

Os radicais livres podem causar doenças degenerativas e morte celular e são formados por processos metabólicos ou pela exposição a fatores ambientais, como a poluição, o álcool e o consumo excessivo de gorduras saturadas. 

Alguns alimentos antioxidantes são: 

  •  Açafrão (ou cúrcuma)
  • Aveia
  • Azeite de Oliva
  • Chá de cavalinha, centelha asiática e dente-de-leão
  • Frutas cítricas (Limão, lima-da-pérsia, laranja e goiaba contêm a poderosa vitamina C)
  • Frutas vermelhas (morango e uvas vermelhas e roxas)
  • Linhaça
  • Mamão e abacaxi
  • Melão
  • Óleo de gergelim
  • Peixes (salmão, atum, sardinha e arenque)
  • Pepino
  • Sálvia
  • Semente de abóbora
  • Suco de uva integral

Pode acrescentar à essa lista também: amêndoa, castanha-do-pará, cereais integrais, nozes e frutos secos.

  • Consuma alimentos com efeito anti-inflamatório 

Alimentos com ação anti-inflamatória, como o alho e o alecrim, diminuem alguns possíveis desequilíbrios que acontecem em nosso organismo. 

Eles ajudam a evitar o surgimento de algumas doenças crônicas como diabetes, obesidade e doenças cardiovasculares.

Além do alho e do alecrim, o ômega-3 também é um anti-inflamatório com capacidade de reduzir as doenças do coração e melhorar a memória. Ele é encontrado em peixes como salmão e sardinha, e em sementes como chia e linhaça.

  • Cuide da saúde dos ossos 

A osteoporose afeta 200 milhões de pessoas no mundo, 10 milhões só no Brasil, revela pesquisa intitulada The burden of osteoporosis in four Latin American countries: Brazil, Mexico, Colombia, and Argentina, publicado recentemente na revista científica Journal of Medical Economics.

Para fortalecer os ossos, é fundamental a correta ingestão de vitamina D e de cálcio.  

O sol é responsável por 80 a 90% de toda a vitamina D, mas salmão, atum e sardinha também são ricos em vitamina D. O cálcio é encontrado em queijos, leite e iogurte e, também, em vegetais de cor verde escuro, como brócolis e espinafre.

  • Coma proteínas 

A deficiência de proteínas pode gerar perda muscular, sensação de fraqueza e dificuldade para realizar atividades do dia a dia.  

Você encontra proteínas principalmente em carnes magras, ovos, grão de bico e alimentos lácteos.

  • Mantenha-se hidratado 

Sem a ingestão adequada de água, nada no nosso organismo funciona de maneira correta. A hidratação auxilia todos os processos fisiológicos do nosso organismo. Ela realiza o transporte de nutrientes às células, limpa o corpo das substâncias tóxicas, auxilia na digestão, previne câimbras, protege o coração, melhora o funcionamento do intestino, aumenta a resistência física, regula a temperatura e controla a pressão sanguínea. Beba, diariamente, de 1,5 a 2 litros de água.  

E você, já se preocupa com a sua alimentação e envelhecimento saudável?

Se gostou das dicas, compartilhe com seus amigos e familiares, compartilhar saúde é Vital!!!

/

2 comentários em “Alimentação x envelhecimento, qual a relação?”

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Saiba porque você deve optar pelo chocolate escuro

Abril, Páscoa… não tem época melhor para comer muito chocolate, não é mesmo? Mas que tal aliar esta delícia com benefícios para sua saúde? Saiba que o chocolate escuro, aquele que tem no mínimo 70% de cacau, pode melhorar diversas funções corporais como o controle do colesterol, saúde do coração, controle do diabetes e ainda ajudar na prevenção de doenças. Saiba mais:

Você quer o melhor para o seu filho? Nós também!

Crianças saudáveis, inteligentes, correndo por todo lado e cheias de energia é tudo o que queremos, não é?

As crianças de hoje em dia são vulneráveis às deficiências de micronutrientes, pois estão mais expostas a ingestão inadequada de alimentos, muitas vezes deixando de consumir alimentos saudáveis e ricos em nutrientes pela facilidade de produtos industrializados mais “práticos” disponíveis no mercado.