A Dieta do Cérebro

Estudos comprovam que o destino do seu corpo e cérebro nem sempre está associado só aos seus genes e também ao ambiente, costumes, crenças, comportamentos, hábito e alimentos. Desordens cerebrais como cefaleia crônica, perda da memória, insônia, variações do humor como depressão, ansiedade, epilepsia, transtorno motores, déficit de atenção, hiperatividade, e doenças degenerativas como Alzheimer, Parkinson podem ser influenciadas pela dieta.
Share on facebook
Share on twitter

Estudos comprovam que o destino do seu corpo e cérebro nem sempre está associado só aos seus genes e também ao ambiente, costumes, crenças, comportamentos, hábito e alimentos. Desordens cerebrais como cefaleia crônica, perda da memória, insônia, variações do humor como depressão, ansiedade, epilepsia, transtorno motores, déficit de atenção, hiperatividade, e doenças degenerativas como Alzheimer, Parkinson podem ser influenciadas pela dieta.

Pesquisas do neurologista David Perlmutter  mostram evidências de que a mudança da dieta ocorrida nos últimos 100 anos, de rica em gordura e pobre em carboidratos, para rica em carboidratos e pobre em gordura tem influenciado na origem de parte das doenças que danificam o corpo e o cérebro humano. A dieta dos nossos ancestrais continha em média 5% de carboidratos, 20 % de proteínas e 75% de gordura; hoje no ocidente está composta de 20% de proteínas, 20% de gorduras e 60% de carboidratos.

O marco de muitas doenças, incluídas as neurológicas tem como gatilhos os processos inflamatórios. O glúten (uma proteína que atua como cola e interfere na quebra e absorção dos nutrientes) e uma dieta rica em carboidratos estão entre os principais responsáveis pelos processos inflamatórios que atingem o cérebro e contribuem para o aparecimento de doenças neurológicas. A engenharia genética  modificou a produção de grãos que contém glutén em mais de 40 vezes, em comparação aos grãos cultivados algumas décadas atrás. O glúten pode ser encontrado no pão, bolachas, biscoitos, macarrão, pizza,  molhos, condimentos, sorvetes, bebidas, cosméticos, xampus, cremes para mãos e cabelo.

As reações do sistema imunológico ao glúten e aos carboidratos estimula o processo inflamatório no cérebro capazes de ativar a produção de enzimas cox-2 e aumentar a produção de citocinas(proteínas ou peptídeos  responsáveis por mediar e regular a resposta inflamatória e imunológica e formação de radicais livres). As citocinas são antagonistas do cérebro e ao danificar seus tecidos, tornam o cérebro vulnerável a disfunções e doenças. No cérebro o glúten atua como exorfina ( substância exógena similar a morfina, que ao aderir ao receptor da morfina, produz bem estar e euforia). Níveis elevados de citocinas são encontrados em pacientes com Alzheimer, Parkinson, Esclerose Múltipla, Autismo, entre outras doenças cerebrais.

O cérebro humano excluída a água contém de 70 a 77 % de gordura ( 25% é colesterol total), que é essencial para o funcionamento dos neurônios. Os lipídios agem como tijolos construtores das membranas celulares, funcionam como antioxidante para combater os radicais livres e são combustíveis importante para os neurônios ao atuar nas conexões sinápticas.

Dieta com pouco carboidrato e rica em gordura saudável, facilita o emagrecimento, disponibiliza mais energia, maior criatividade e produtividade, melhora memória e mantém o cérebro protegido. Certos tipos de gorduras e óleos modificados comercialmente, como as trans(ácidos graxos insaturados resultante de hidrogenação, utilizados para aumentar consistência dos alimentos) são tóxicas e maléficas ao ser humano. As gorduras  ômega 6 encontrados nos óleos vegetais hidrogenados favorecem as inflamações e seu consumo elevado está relacionado aos transtornos cerebrais.

As gorduras boas, inclusive o colesterol são saudáveis e benéficas ao corpo e cérebro, como os alimentos ricos em ômega 3: sementes de linhaça, óleo de oliva e de coco, castanhas, peixes de água fria, carne e ovos orgânicos. Dr. Donald W Miller, cirurgião cardíaco da Universidade de Washington nos Estados Unidos, prognosticou que o reinado da dieta pobre em gordura e rica em carboidratos vai acabar e mudar para pobre em carboidratos e rica em gordura; quando os efeitos destrutivos à saúde pelos carboidratos e glúten e os benefícios oriundos das gorduras forem aceitos, reconhecidos e modificados.

Com base nesses conhecimentos você pode optar por danificar e degenerar ou proteger e regenerar seu cérebro. A decisão é sua!

Eduardo Carlos da Silva

Neurocirurgião e Coach

1 comentário em “A Dieta do Cérebro”

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

07 de abril: Dia Mundial da Saúde. Você está cuidando da sua?

O que é saúde para você? Para a Organização Mundial de Saúde, é “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. E como o dia 07 desse mês foi escolhido pela OMS como “Dia Mundial da Saúde”, separamos algumas orientações para que você possa manter sua saúde (em todos os aspectos) sempre em dia! Veja:

Acidez x Alcalinidade – você sabe como equilibrar a sua alimentação?

Você acha que o limão irá tornar o seu corpo mais ácido? Está enganado! Surpreenda-se com os alimentos que podem te ajudar a ter uma dieta alcalina.

Você se lembra de quando estudou sobre acidez e alcalinidade na escola? Então você deve saber que o fator que mede se um elemento ou composto é ácido ou básico (alcalino) é o pH. O pH vai de 0,0 (mais ácido) até 14,0 (mais alcalino), sendo que o pH 7,0 é neutro.

Os melhores alimentos para começar bem o seu dia

Começar o seu dia com uma boa nutrição te dá muito mais energia para as atividades de sua rotina, sabia? Você se concentra melhor, fica menos estressado e faz escolhas mais saudáveis…

Para um café da manhã realmente poderoso, capaz de te dar todo o ânimo necessário, as proteínas e as gorduras provenientes de frutas, cereais e oleaginosas são sempre uma boa opção, pois mantém você saciado e disposto. Os alimentos ricos em vitaminas B também são excelentes fornecedores de energia!