Você sabe como escolher um bom Ômega 3?

Não compre gato por lebre! A nutricionista Alessandra Goettems vai te dar algumas dicas de como escolher um Ômega 3 de qualidade e não gastar dinheiro à toa.
Share on facebook
Share on twitter

Não compre gato por lebre! A nutricionista Alessandra Goettems vai te dar algumas dicas de como escolher um Ômega 3 de qualidade e não gastar dinheiro à toa.  

  • Observe sempre a quantidade de EPA e DHA por cápsula. Os melhores produtos possuem esta informação bem visível no rótulo.
  • Lembre-se de checar se é isento de metais tóxicos (geralmente os bons produtos informam isso de forma bem destacada na embalagem)
  • Um Ômega 3 de boa qualidade sempre terá vitamina E na cápsula, para agir como antioxidante.
  • Sessenta doses de um bom ômega 3 (no Brasil) não sai por menos de 60 reais. Desconfie se encontrar mais barato! Os óleos mais baratos na maioria das vezes não atendem a esses pré-requisitos que comentei.

Fica a dica: não use ômega 3 sem supervisão de médico ou nutricionista, você (e seu bolso) podem se dar mal, afinal, ele não é isento de efeito colateral…e principalmente se for de má qualidade!

9 comentários em “Você sabe como escolher um bom Ômega 3?”

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Você sabia que praticar exercícios pode te ajudar a dormir melhor?

Você acorda cedo, trabalha o dia todo, chega em casa cansado e toma uma ducha. Depois da janta, assiste um pouco de TV e vai se deitar. Só que o sono não vem. Você toma um chá, vira pra lá, para cá, conta carneirinhos, mas nada.

Nessa hora, você pensa: “tenho que dormir para acordar cedo amanhã” e aí é que não dá para dormir mesmo. Mas o que fazer? A boa notícia é que existe um remédio natural, de fácil alcance e que ainda vai melhorar outros aspectos da sua vida: o exercício físico!

10 hábitos alimentares que podem fazer você viver mais

O que faz uma pessoa viver mais?
Há muito tempo especialistas investigam as causas da longevidade, e existem muitas teorias que levam em conta a genética, hábitos saudáveis e a alimentação.

E é exatamente a forma como algumas populações do mundo se alimentam que chamou a atenção dos estudiosos!

Eles descobriram que, em certos locais do mundo, conhecido como “Zonas Azuis”, as pessoas têm os mesmos hábitos alimentares e que nelas, o índice de longevidade chega até a cem anos ou mais.