Magnésio: saiba como ele atua no Sistema Neuromuscular

Sistema Nervoso Central: Ele é constituído por redes neuronais que estão integradas e regulam uma grande parte das funções do nosso organismo. Um exemplo da sua ação é a coordenação de movimentos voluntários modulados por informações sensoriais. No Sistema Nervoso Central, temos o encéfalo, local em que ocorre um alto nível de integração sensorial e atividades conscientes
Share on facebook
Share on twitter

Já abordamos a diversidade de benefícios do magnésio algumas vezes aqui no blog.

Você pode conferir a importância deste mineral no nosso corpo clicando neste link:https://vitalblog-dev.actionlabs.com.br/qual-a-importancia-do-magnesio-no-corpo-e-quando-suplementar/ e, se quiser saber como ele pode contribuir no tratamento contra a ansiedade e depressão, é só clicar neste: https://vitalblog-dev.actionlabs.com.br/magnesio-no-combate-depressao-ansiedade/.

Agora, você vai entender melhor como ele atua no nosso sistema neuromuscular. Vamos lá?!

Anatomia e fisiologia do sistema neuromuscular

– Sistema Nervoso Central:

Ele é constituído por redes neuronais que estão integradas e regulam uma grande parte das funções do nosso organismo. Um exemplo da sua ação é a coordenação de movimentos voluntários modulados por informações sensoriais. No Sistema Nervoso Central, temos o encéfalo, local em que ocorre um alto nível de integração sensorial e atividades conscientes e, também, temos a medula espinhal,onde ocorrem muitas atividades motoras reflexas e circuitos neurais que estão diretamente associados à execução de movimentos, sendo eles voluntários ou não. (1)

– Músculos:

Temos três tipos que se diferenciam na organização celular e nas propriedades contrácteis. São eles: (1)

– Esqueléticos (ou estriados);

– Lisos;

– Cardíacos.

Entre as principais funções dos músculos, em especial dos esqueléticos, estão: (1)

– Produzir movimento;

– Estabilizar a articulação;

– Manter a postura;

– Produzir calor.

Para cumprirem essas funções, eles exercem quatro propriedades: (1)

– Excitação elétrica;

– Contração;

– Extensão;

– Elasticidade.

Caso você não saiba da importância do magnésio no nosso organismo, explicamos melhor nesta publicação: https://vitalblog-dev.actionlabs.com.br/qual-a-importancia-do-magnesio-no-corpo-e-quando-suplementar/. Não deixe de conferir!

magnesio-saiba-como-ele-atua-no-sistema-neuromuscular

O magnésio e os músculos: entenda essa relação

No sistema neuromuscular, o magnésio está presente de maneira participativa na transmissão neuroquímica e na excitabilidade muscular, atuando no controle da atividade elétrica cardíaca, na contração muscular e no funcionamento das células nervosas.(2)

De uma maneira mais simples de explicar, enquanto o cálcio atua como estimulador da contração muscular, o magnésio age no relaxamento do músculo.(2)

Esse micronutriente essencial que, como já mostramos acima, exerce uma grande importância no nosso organismo, participa de muitos processos que afetam a função muscular, como: (3)

– Consumo de oxigênio;

– Produção de energia;

– Equilíbrio de eletrólitos.

A deficiência de magnésio pode resultar em hiperexcitação neuromuscular.(4)

Os principais sintomas neuromusculares de deficiência de magnésio no organismo podem ser:(2)

– Cãibras;

– Fasciculações (espasmos musculares);

– Parestesia (formigamento);

– Letargia (cansaço, fadiga);

– Fraqueza muscular;

– Tremores;

– Ataxia (apatia);

– Nistagmo (movimento involuntário dos olhos);

– Tetania (contrações musculares intermitentes, acompanhadas de tremores, paralisias e dores musculares);

– Mioclonia (contrações musculares súbitas e involuntárias, especialmente em mãos e pés);

– Irritabilidade neuromuscular;

– Convulsões.

magnesio-saiba-como-ele-atua-no-sistema-neuromuscular

Magnésio e Atividades Físicas

Quando praticamos alguma atividade, tendemos a aumentar a produção de radicais livres e antioxidantes. É pela alimentação que fornecemos antioxidantes para o organismo, e o déficit deles na dieta e de substâncias importantes podem resultar em estresse oxidativo. O magnésio é uma dessas substâncias super importantes, pois participa do metabolismo energético, da contração muscular e da regulação dos transportes de íons. (5)

Quando estamos em falta deste mineral, é possível notar um aumento da peroxidação lipídica e a diminuição da atividade antioxidante. Sendo assim, aumenta a resposta inflamatória no corpo. (5)

No que se trata o desempenho físico, quando há falta deste mineral, podem surgir lesões musculares mais sérias, deixando os músculos mais suscetíveis à infiltração de macrófagos e neutrófilos e também ao rompimento do sarcolema. Quando isso acontece, dificulta a regeneração e pode diminuir o desempenho físico. (5)

Não fornecer quantidade necessária de magnésio ao organismo, aumenta a exigência de oxigênio para concluir exercícios submáximos e pode reduzir a performance em exercícios endurance. (5)

Atletas tendem a ter perdas elevadas de magnésio através da urina e do suor em períodos de treinamento intenso. Por isso, sua necessidade deste mineral pode ser entre 10 e 20% maior do que as recomendações atuais para pessoas sedentárias. (5)

Por isso, a suplementação pode ser considerada para a melhora da função celular, revertendo um quadro de deficiência. (5)

Conscientes do quanto esse é um mineral essencial para o organismo e sempre pensando em como contribuir para a saúde dos nossos clientes com praticidade, responsabilidade e qualidade excepcional, em breve, o magnésio também será um dos protagonistas da nossa linha de produtos.

Fique atento à sua saúde e vá periodicamente ao médico!

Gostou desse artigo? Compartilhe com alguém especial.

FONTES: 
  1. CHAUD, Vitor Martins. Modelagem do sistema neuromuscular humano para estudo de contrações isométricas. 2013, 130 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Elétrica) – Universidade de São Paulo. São Paulo, 2013. Disponível em <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3142/tde-30072013-204749/publico/Dissertacao_VMChaud_unprotected.pdf>. Acesso em 22 set. 2020.
  1. MONTEIRO, Thaís Helena; VANNUCCHI, Helio. Funções plenamente reconhecidas de nutrientes – magnésio. ILSI Brasil. São Paulo, v. 16, 2010. Disponível em <https://ilsi.org/brasil/wp-content/uploads/sites/9/2016/05/16-Magne%CC%81sio.pdf>. Acesso em 22 set. 2020.
  1. AMORIM, Samuel; LOUREIRO, Nuno. Magnésio e exercício físico. Federação Portuguesa de Ciclismo. Disponível em <https://www.fpciclismo.pt/ficheirossite/16102014094602.pdf>. Acesso em 22 set. 2020.
  1. Os minerais na alimentação. Aditivos & Ingredientes. P. 33-44. Disponível em <https://aditivosingredientes.com.br/upload_arquivos/201805/2018050469345001525704512.pdf>. Acesso em 22 set. 2020.
  1. BARBOSA, Mirceli Goulart et al. Micronutrientes na atividade física: um enfoque nos minerais. EFDEPORTES.COM. Revista Digital, n. 15, Buenos Aires, 2010. Disponível em <https://www.efdeportes.com/efd145/micronutrientes-na-atividade-fisica.htm>. Acesso em 05 out. 2020.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Osteoporose: 5 meios de fazer a prevenção e o tratamento

Existem diversos fatores que aumentam o nosso risco de ter osteoporose. Apesar de haver vários novos medicamentos no mercado, do aumento da suplementação de cálcio e da prática de exercícios físicos, a osteoporose ainda está aumentando. Isso nos leva a crer que, fora desses métodos de tratamento padrão, existe um elo perdido quando se trata da nossa compreensão e tratamento da osteoporose. Quais são as melhores maneiras de preveni-la e tratá-la?